segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Reunião AFeTra 28-12-2016

Aos sócios da Associação  Famalicão em Transição e aos que estão interessados em o ser:

No próximo dia 28 de dezembro (quarta-feira) a partir das 19h00, haverá uma reunião informal, que se destina sobretudo a preparar o plano de atividades para 2017. 

O local é na sede da Associação Amigos do Pedal, que gentilmente cederam o espaço para o efeito, na antiga escola primária de S. Cláudio, Antas (também sede da ARCA) - Rua de S. Cláudio, 872, Antas.

Como estamos em época natalícia e porque a Transição também passa pelo convívio, aproveitaremos para celebrar juntos mais um ano em transição, continuar a conhecermo-nos melhor e amadurecer o nosso projeto de Transição. 

Sugerimos que cada um de nós leve algo para comer e beber (de preferência, que possam partilhar) e louça não descartável (prato, talheres, copo).

Esperamos que possam comparecer, até lá!

sábado, 17 de dezembro de 2016

Produtos Biológicos em Famalicão

agricultura biológica é uma forma de agricultura que não utiliza produtos químicos de síntese, nem como pesticidas nem como fertilizantes. As doenças e pragas das culturas são sobretudo prevenidas, por imitação da natureza e por técnicas que respeitam a saúde das pessoas, do solo, da água e  do ambiente em geral

Logótipo da agricultura biológic na UE
«O princípio fundamental da agricultura biológica  é o respeito pela natureza e a estrita proibição de pesticidas ou adubos químicos de síntese. O solo é também um dos pilares fundamentais: ao contrário da agricultura "tradicional" que empobrece e mata o solo, com a prática da agricultura biológica o solo é enriquecido. Toda a matéria orgânica não consumida é devolvida ao solo (e mesmo parte da consumida: o estrume). Com compostagem ou sem compostagem (adubação verde).


A agricultura biológica baseia-se na biodiversidade: para além de  certas plantas atuarem como "defensoras" ou "ajudantes" de outras (consociações), se ocorrer uma devastação de uma espécie, por doença, praga ou intempérie, há uma grande probabilidade de outras espécies resistirem e não haver grandes perdas. » (ver mais aqui).

Em Vila Nova de Famalicão, desde 2012 que existe a


uma iniciativa promovida pelo Gabinete de Sensibilização Ambiental da Câmara Municipal, e que disponibiliza "produtos saborosos e amigos da saúde e do ambiente, levando o melhor da produção biológica aos famalicenses".

Em 2017, esta venda continuará a ocorrer ao segundo e quarto sábado do mês, entre as 9h00 e as 13h00, junto à Praceta Cupertino de Miranda, na Praça D. Maria II.

Feiras de Produtos Biológicos 2017:
14 e 28 Janeiro
11 e 25 Fevereiro
11 e 25 Março
8 e 22 Abril
13 e 27 Maio
10 e 24 Junho
8 e 22 Julho
12 e 26 Agosto
9 e 23 Setembro
14 e 28 Outubro
11 e 25 Novembro
9 e 23 Dezembro

Atualmente, não tenho conhecimento de nenhum estabelecimento aberto ao público em Famalicão (cidade) que venda produtos biológicos frescos.

Para além dos produtores que integram a Feira de Produtos Biológicos, pode também obter  produtos de agricultura biológica cabazes em V. N. Famalicão:

  • Através da CHUCHUBIO, que disponibiliza os cabazes aos associados (AMAP), em Vilarinho das Cambas (contactos: chuchubio.ab@gmail.com | 918460698 / 964659330)
  • Através da NETrural alimentação saudável , por entrega de cabaz biológico de hortícolas ao domícilio, em Famalicão, Trofa e Santo Tirso (contactos: brigidamarisa@gmail.com | 927560463)

Se conhecerem mais lojas/ agricultores/ empresas/ sites, onde se possa adquirir produtos biológicos no concelho de Vila Nova de Famalicão, agradecemos que nos informem em comentário a esta mensagem, ou por e-mail para famalicaom@gmail.com

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A HISTÓRIA DAS COISAS, sessão com debate no dia 16/12

Consumismo: uma história de terror camuflada de conto de fadas?


Na última sessão Ambientar-se de 2016,  a Associação YUPI, apresenta:

"A História  das Coisas" 
(The Story of Stuff, 2007, 21 min)

Dia 16 de dezembro de 2016, 21h30, na Casa do Território, Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão.  Gratuito, entrada livre

Convidada para dinamizar o debate:  Liliana Duarte do Projeto Cor de Tangerina e do Mercadinho Bio de Guimarães.

«A História das Coisas traz-nos um olhar ao lado menos visível dos nossos padrões de produção e consumo. Expõe as conexões entre um grande número de problemas ambientais e sociais e convoca todos nós para a criação conjunta de um mundo mais sustentável e justo. Vai ensinar-lhe algo, vai fazê-lo rir e pode muito bem mudar a forma como olha para todas as Coisas na sua vida para sempre!»

As sessões AMBIENTAR-SE são uma parceria entre o Município de Vila Nova de Famalicão (Parque da Devesa) e instituições locais ligadas à proteção do ambiente, que constam na exibição de um filme de tónica ambiental com debate no final.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Biodanza - agradecimentos e fotos

Na passada terça-feira à noite, dia 6/12/2016, biodanzamos na sala de ensaios da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.  
A aula de Biodanza foi um momento precioso, de alegria, despojamento e entrega. 

Realmente, saímos e lá mais leves, mais alegres e gratos!

Aqui ficam algumas das fotos que registaram alguns dos momentos da aula de Biodanza, e ficam também aqui os agradecimentos. A nossa GRATIDÃO para com:

- A Ana Maria Silva e o Luís Miguel Alfaro, os facilitadores, que vieram do Porto de propósito para dar esta aula gratuitamente, e com tão boa energia;
- A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, pela cedência do excelente espaço, e à equipa da Casa das Artes pela colaboração e disponibilidade;
- A Lúcia Marta, associada de Famalicão em Transição, que deu o mote, desafiou os facilitadores, e organizou esta atividade;
- Todos os que participaram (no total 20 pessoas), permitindo ter um grupo lindo e tão colaborativo!








  

Mais fotos aqui.

Para quem participou, se quiser o envio destas e/ou das restantes fotos, ou as pretenda com melhor resolução, por favor enviar e-mail para famalicaom@gmail.com

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Biodanza em Famalicão - dia 6 de dezembro

A Associação Famalicão em Transição está a promover uma Aula de Biodanza em Vila Nova de Famalicão, e convida os interessados a participar.  Será na Casa das Artes (sala de ensaios) em Vila Nova de Famalicão, no dia 6 de dezembro às 20h30, com os facilitadores Ana Maria Silva e Luís Miguel Alfaro.

A inscrição é gratuita mas obrigatória (até segunda-feira 5/12 às 13h00), a efetuar em: https://goo.gl/xoKePU

Alertamos que a atividade só se realizará se houver um número mínimo de inscritos. Para qualquer informação adicional, por favor enviar email para: afetra.inscrever@gmail.com

A seguir, o  testemunho e convite da Lúcia Marta, associada de Famalicão em Transição, praticante de Biodanza, e organizadora deste evento.


«Caros companheiros de Famalicão em Transição

Biodanza® é um sistema que estimula o desenvolvimento humano através de vivências integrativas induzidas pela música e pela dança.´

Sinto necessidade de partilhar com vocês o que me motivou a propor uma aula de Biodanza aos nossos associados e simpatizantes.

Faço aulas regularmente, há 4 anos,  e é só com base no que a Biodanza me faz sentir que posso fazer esta partilha.
Famalicão em Transição apesar de já ter raízes que permitiram a efectivação da Associação, na verdade, é um organismo embrionário. 

Senti que era importante criar laços afectivos entre nós. Lidamos com temas que procuram a humanização da sociedade, a todos os níveis. A todos os níveis! Educação, agricultura, construção, sistemas bioenergéticos e por aí fora… Ouvi na reunião inicial, a importância de começarmos por nós mesmos, pelas nossas escolhas e capacidade de mudar conceitos e atitudes.

É aqui quero chegar.

A Biodanza cuida de mim, da minha integridade como ser humano. As aulas funcionam como um laboratório de vida, onde posso arriscar vivenciar o que me é proposto naquele momento. Expresso-me na condição física e emocional em que me encontro. Desafio-me sem me exigir; identifico-me sem o uso da palavra; e as minhas células exaltam de alegria por lhes reconhecer a capacidade e a liberdade de exercerem as mudanças necessárias, sem lhes impor um esforço físico e intelectual inadequado. Faço aulas danzando os meus estados emocionais, quaisquer que eles sejam.

E tudo isto na relação profunda com o Grupo que me acolhe,  respeita a minha condição, e espelha o meu sentir mais subtil e afectivo. Esta conexão grupal ensina-me a olhar para o outro com a reverência do divino que o habita, e com a alegria da partilha humana no seu esplendor.

"Biodanza é a Poética do encontro humano"
(Rolando Toro, Criador do Sistema Biodanza)

Ana Maria Silva (Didacta e Coordenadora da Escola de Biodanza do Porto), mulher de uma sensibilidade inigualável, é uma referência no mundo da Biodanza, disponibiliza-se a deslocar-se até Famalicão e a dar-nos uma aula, sem qualquer remuneração.

Podem, naturalmente, sentir vontade de escapar a este desafio!

Cá vai um empurrão:

Já fiz aulas onde danzaram pessoas em cadeiras de rodas; pessoas cegas;
Já fiz aulas onde o número de participantes variou entre os 700  e os 10.
Já danzei em salas aconchegadas; na praia; e em terra batida, debaixo do magnifico céu do Alentejo.

Isto para te convidar a um desafio de mão beijada, gratuito, próximo de casa. Traz uma ou mais pessoas contigo, contando que todos venham danzar, porque estas aulas são vivenciadas. Não é permitido assistir.

Não existem danzas coreografadas. Se caminhas, danzas! 
A roupa é prática, onde te mexas com facilidade. 
Danza-se descalço. 

Diz Rolando Toro, criador do Sistema Biodanza:

"A Biodanza não é somente um conjunto de exercícios com músicas ou um sistema convencional de expressão das emoções, mas sim, uma nova visão da Vida, um processo de desenvolvimento humano, de integração da identidade, de transformações internas e desenvolvimento das potencialidades humanas. Trata-se de aprender a "dançar a vida" e descobrir o "prazer de viver"."

Casa das Artes Vila Nova de Famalicão
Sala de Ensaios
Dia 6 de Dezembro
Das 20h30 às 23h30

Desafia-te!!! 

Desejo conhecer-vos melhor, olhando-vos nos olhos com a proximidade do Coração.

Um forte abraço
Lúcia Marta»