segunda-feira, 25 de julho de 2011

Transição para um mundo sem petróleo - Rob Hopkins no TED

Rob Hopkins é co-fundador da Rede de Transição. Permacultor e professor, Rob Hopkins é um empreendedor que passou à acção a nível global, agindo localmente. Começando com a Transição na cidade do Reino Unido de Totnes (Transition Town Totnes), a rede de Transição espalhou-se pela Europa, pela América e por todo o mundo.  Mas de que transição estamos a falar?  Ouça a palestra de Rob Hopkins de 2009 no TED para entender essa transição para um mundo para além do petróleo, onde os consumos energéticos são minimizados e as comunidades se tornam mais conectadas e resilientes.
(Nota: tem legendas também em português do Brasil, em a palavra oil, que significa petróleo, foi traduzida para óleo).



Em Portugal já existem 13 comunidades em Transição registadas na rede internacional: Paredes, Pombal, Telheiras, Portalegre, Gaia, Sintra, Rio Tinto, Coimbra, Cascais, Linda-a-Velha, Aldeia das Amoreiras, e também na na Universidade do Minho e na FCUL - Univ. Lisboa. Espreite a Rede Transição e Permacultura Portugal.

(Esta mensagem é idêntica à de 28/05/2011 no blogue Sustentabilidade é Acção)

sexta-feira, 22 de julho de 2011

2ª Reunião sobre Transição - resumo

No passado dia 15/07/2011, o grupo de transição em Vila Nova de Famalicão chegou às 15 pessoas.  Fica aqui o registo da conversa: 


Programa :
1) Troca de ideias sobre princípios da transição – continuação
2) Discutir sobre adesão formal à rede Transition Network
3) Possibilidade de formar grupo-piloto, coordenador e temporário.
4) Discutir sobre constituição de grupos de trabalho para as diferentes áreas .

Presenças:
1. Ana Azevedo
2. Albertina Pereira
3. Armindo Magalhães
4. Cristiana Caldas,
5. Graça Marques
6. Helena Pinheiro
7. José Marques
8. Lígia Silva
9. Luciana Lopes
10. Manuel Cruz
11. Manuela Araújo
12. Nuno Mendes
13. Paulo Mesquita
14. Sandra Costa
15. Víctor Moreira

Resumo:
Nesta segunda reunião não se avançou tanto como na primeira, o que é natural nesta fase de arranque da Transição em Vila Nova de Famalicão. Foram trocadas ideias sobre Permacultura, aproveitando a presença do Víctor Moreira, com experiência e conhecimentos nesta área.

Foram lidos e discutidos os princípios da Rede de Transição (Transition Network):  1. Visão Positiva;  2. Ajudar as pessoas a ter acesso a boa informação e confiar nelas para que tomem boas; 3. Inclusão e Abertura; 4. Activar a partilha e o trabalho em rede; 5. Construir Resiliência; 6. Transição Interior e Exterior; 7. A Transição faz sentido - a solução é do mesmo tamanho que o problema; 8. Subsidiariedade: auto-organização e tomada de decisão ao nível adequado.

Foram trocadas ideias sobre Transição e sobre o futuro, mas a maioria do grupo presente sente precisar de mais informação sobre Rede Transition Network para decidir sobre a eventual adesão formal. Foram avançadas hipóteses de associação e de cooperativa para a formalização do movimento.

Quanto à criação de um grupo piloto, ofereceram-se desde já como voluntários Albertina Pereira, Ana Maria Azevedo, Armindo Magalhães, Luciana Lopes, Manuela Araújo, Nuno Mendes e Sandra Costa. 

Posteriormente, cada um dos presentes da área para que se sente mais vocacionado a intervir ou ajudar (agricultura, alimentação, energia, comércio, indústria, saúde, educação, cultura, transição interior, ligação ao exterior, etc.).

Próxima Reunião ficou prevista para o dia 29/07/2011, às 21:45h, no Espaço Mangala (Rua de Santo António, Edifício Matriz Antiga, loja 7) , com projecção de vídeos sobre Transição.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

2ª Reunião sobre Transição - dia 15/07/2011

Conforme estabelecido na 1ª reunião sobre Transição, a segunda continua marcada para o dia 15/07/2011  às 21:45h, no café/restaurante Praça, em Talvai.

Aos presentes na 1ª reunião foi distribuído um extracto do Manual de Iniciativas de Transição, com os critérios para uma iniciativa integrada na Transition Network, os "7 mas" e os "12 passos", para que pudessem avaliar sobre uma eventual adesão oficial.

Espera-se que nesta 2ª reunião se faça a segunda parte do exercício, que é saber por onde se pode começar,  e como  devemos estar daqui a, por exemplo, 3 anos, para que consigamos chegar aos objectivos para daqui a 10 anos.

No entanto, para além de continuar na troca de ideias, vejamos se será também possível, nesta segunda reunião, dar alguns passos no sentido de:
1)    Discutir sobre a eventual adesão formal à rede de partilha internacional Transition Network.
2)    Decidir um nome para este movimento em formação 
3) Concretizar um grupo-piloto, coordenador e temporário. Posteriormente, e com uma adesão mais alargada, haverá que constituir grupos de trabalho para as diferentes áreas.

Se quer ajudar de forma empenhada, desinteressada e integrada a preparar a comunidade de Famalicão para se tornar mais sustentável e resiliente, junte-se a nós e apareça para a reunião. 

domingo, 10 de julho de 2011

Florestas e Homens - Ano Internacional da Floresta

Neste Ano Internacional das Florestas, convido-vos a apreciar este belíssimo filme Florestas e Homens, realizado por Yann Arthus-Bertrand (realizador do espectacular filme HOME) para as Nações Unidas.

A nossa espécie julga-se a forma mais inteligente do universo. No entanto, ela "destrói o essencial para produzir o supérfluo", como ouvimos no filme. As árvores, os animais e os outros seres vivos não colocam a sua própria espécie em perigo de extinção. Afinal, quem é mais inteligente?

terça-feira, 5 de julho de 2011

Fórum Transição em Famalicão

Olá!

Quero agradecer à Manuela o convite para participar neste blog que tenho acompanhado com interesse.

No seguimento da primeira reúnião sobre Transição em Famalicão foi criado um fórum para que possamos trocar idéias e experiências.

Estão, desde já, convidados a registarem-se e a participarem activamente!


Abraços.
Nuno

1ª Reunião sobre Transição - resumo

No passado dia 01/07/2011, um grupo de 11 pessoas juntaram-se em Vila Nova de Famalicão, para falar sobre Transição. Depois da palestra do dia 18, com Miguel Leal, do Movimento Paredes em Transição, foi a primeira manifestação de uma vontade colectiva de fazer a Transição para uma comunidade mais sustentável e resiliente em Famalicão. Assim, fica aqui o registo da conversa:

Programa :
1)    Troca de Ideias sobre transição – distribuição de extracto do Manual de Iniciativas de Transição
2)    Exercício – Como gostaríamos de estar, em Famalicão, daqui a 10 anos?


Presenças:

1. Ana Maria Azevedo
2. Ana Maria C.V. Azevedo
3. Albertina Pereira
4. Armindo Magalhães
5. Cristiana Caldas
6. Manuel Cruz
7. Manuela Araújo
8. Maria Martins
9. Nuno Mendes
10. Paulo Mesquita
11. Sandra Costa

Resumo:

Foi uma reunião notável, com um grupo de pessoas verdadeiramente interessado em ajudar a contribuir para a mudança na Transição para um Famalicão mais resiliente e sustentável. As ideias e contributos de todos foram excelentes, um bom princípio para um Movimento de Transição em Famalicão.

No exercício de futurologia a que nos obrigamos – imaginar como gostaríamos de ver Famalicão daqui a 10 anos, e escrever uma ou duas ideias num pequeno papel - saíram ideias muito válidas e interessantes, umas mais concretas e outras mais gerais, ou mesmo utópicas, que a seguir se enumeram:

A.    Sociedade e cultura
1.    Uma cidade verde, auto-suficiente e solidária
2.    Uma comunidade muito menos consumista
3.    Existência de um forte sentido comunitário, uma maior união entre os  habitantes, que colaboram em actividades de apoio ao crescimento social, económico e cultural
4.     Pobreza económica e moral erradicada
5.    Um concelho auto-sustentável, começando pelo levantamento de todas as técnicas, boas e más que se praticam em vários sectores de actividade
6.    Inclusão de pessoas mais velhas e reformadas no movimento, de modo a que possam contribuir para a transição, sobretudo através da partilha de conhecimentos
7.    Um convívio intergeracional mais frequente, com actividades conjuntas com crianças, jovens e pessoas mais idosas
8.    Uma cultura mais abrangente, nomeadamente nas áreas do teatro, literatura e cinema
9.    Existência de um banco de troca de conhecimentos e entreajuda, suportado numa rede on-line
B.    Agricultura
10.    Produzir localmente, a nível alimentar, a maior parte daquilo que é consumido
11.    Aproveitar os terrenos agrícolas que agora não estão cultivados, facilitando o arrendamento por parte de novos agricultores,
12.    A maioria dos agricultores a usar métodos biológicos e sustentáveis, para o que será necessária a criação de um grupo que dê apoio e formação 
13.    Espaços públicos cultivados, transformando mesmo parte dos relvados actuais em hortas
14.    O concelho com uma produção forte e exemplar de frutos secos, incluindo a partir de árvores plantadas em espaços públicos
C.    Comércio
15.    Criada e a funcionar uma rede local de distribuição dos produtos locais,  suportado numa rede on-line
16.    Existência de uma espécie de moeda local, a partir de atribuição de valor aos produtos produzidos localmente (ou com talões ou vales)
17.    Mercado de trocas a funcionar
18.    Recuperar a actividade dos mercados locais  e da Feira Grande
D.    Educação
19.    Todas as escolas do concelho a fazer realmente a separação de resíduos para reciclagem
20.    Todas as escolas do concelho dotadas de espaços verdes para cultivo (hortas)
E.    Mobilidade
21.    Uma rede de transportes muito mais ecológica
22.    Uma rede de vias cicláveis, de forma a que as pessoas se possam deslocar de bicicleta em segurança
F.    Energia
23.    Recuperados os moinhos e azenhas que se encontram ao abandono e em ruína para produção de energia
24.    Pessoas muito mais sensibilizadas para a necessidade de redução de consumos energéticos, através de acções de sensibilização em conjunto (colóquios) e mesmo em particular - dando conselhos nas casas das pessoas (tipo caça-watts de Cascais.


Também se falou de artesanato local e de actividade industrial, mas com certeza outras ideias mais concretas surgirão mais tarde nestas e outras áreas, bem como nas áreas já assinaladas.

Ficou decidido que o primeiro passo é tentar alargar mais um pouco o grupo, e cada elemento que participou tentará trazer, para a próxima reunião mais um elemento, de preferência com conhecimentos específicos nas áreas focadas e/ou vontade de contribuir para a mudança. 

Próxima reunião prevista para o dia 15/07/2011  às 21:45h (a confirmar), em local a designar mais tarde.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Conversa no Tanque sobre Transição

Na próxima quinta-feira, participarei na Conversa do Tanque, em que falaremos sobre como começa a Transição nas cidades. Apesar estarmos ainda muito no início da Transição em Famalicão, aceitei o amável convite de  Nuno Miranda Ribeiro da Associação Cultural Velha-a-Branca, porque não poderia perder uma oportunidade de divulgar um tema que considero de extrema importância para um futuro mais sustentável e resiliente.

A conversa começa às 21:45 do dia 7 de Julho, no Estaleiro Cultural Velha-a-Branca, em Braga, e será moderada por Nuno Gomes Lopes.

"SOBRE AS CONVERSAS NO TANQUE
As Conversas no Tanque realizam-se à quinta-feira, pelas 21h45, com constância quinzenal. Cada sessão, que se quer informal, gira à volta de um convidado. O objectivo é o de apresentar, debatendo, projectos que se destaquem, em contexto nacional, em termos de relevância e actualidade. Acima de tudo: que representem uma "ideia". Para que o público construa, através dela, a sua proposta. Momentânea. Ou de futuro. A primeira conversa realizou-se em Julho de 2004, ainda antes da abertura da Velha-a-Branca." Fonte: Conversas no Tanque


Desde já, os meus sinceros agradecimentos ao Nuno Miranda Ribeiro e à Associação Cultural Velha-a-Branca por permitirem e incentivarem a divulgação da Transição. Espero conseguir transmitir o que tenho aprendido nessa área.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Famalicão Melhor recomendado pelo Biosfera

Foi com muito agrado que deparei, no programa do Biosfera do último fim de semana (Biosfera 323 Troika e a energia), que este blogue foi um dos sites recomendados na rubrica Bionet. A recomendação encontra-se por volta do minuto 34:30 minutos, mas aconselha-se, como a todos os programas do Biosfera, a ver a totalidade.

"Biosfera" é um magazine semanal que dá relevo às questões ambientais, e que passa na RTP2 ao Domingo às 12 horas
"Semanalmente, no Biosfera, mostramos-lhe os passos a dar para manter a biodiversidade, como ter atitudes mais ecológicas, como gerir melhor o consumo energético ou quais as tendências futuras para o ambiente.  Procure a sintonia mais verde da televisão portuguesa." Fonte: Farol de Ideias

Aqui ficam os sinceros agradecimentos à Farol de Ideias, produtora do programa Biosfera, pelo reconhecimento e divulgação deste blogue de âmbito local (Famalicão por um mundo Melhor, ou abreviadamente, Famalicão Melhor)